23 de out de 2014

A vida nunca desiste de nós


Perceba... Andamos por este mundo, sem compreender muito bem o que de fato, estamos fazendo aqui. Falta-nos profundidade no olhar. Pergunte seriamente a você mesmo: qual o real sentido da vida? O que vim fazer aqui? E o que faço? Vim somente imitar comportamentos adotados por todos? Minha vida é significativa? Que papel tenho desempenhado e a desempenhar? No que consiste a felicidade? Sem que você se faça profundamente questões dessa natureza, todo o sofrimento que encontra pelo caminho, talvez seja apenas a sua própria vida sacudindo-o  e gritando: “Ei, vamos! Abra os olhos! Veja o que faz a si mesmo e a este mundo”!
De modo geral, estamos todos meio anestesiados de tantos pensamentos compulsivos e repetições das mesmas marcas, energias e hábitos inconscientes. Tudo é jogado sobre o presente e, enquanto não acordamos do nosso sonho particular, egocentrado, apenas continuamos em frente, semeando e plantando as mesmas sementes de sofrimento.
Sem que compreenda e realize profundamente estas perguntas, você jamais despertará para a liberdade e felicidade existentes e disponíveis em uma vida realmente significativa. É muito estranho, mas, por exemplo, cada vez mais pessoas agem como se tivessem vindo ao mundo apenas para fazer compras!
Permanecendo anestesiados, sem ver com clareza, sem reconhecer o quanto, como e por que se sofre, ficamos surdos, insensíveis aos constantes apelos e chamamentos da vida e do momento presente. Sim, a felicidade pode vir nos visitar de vez em quando, mas será sempre algo muito fugaz.
Enquanto nos negarmos a abrir os olhos, a acordar ou despertar, então mais sofrimento será necessário. A vida só quer uma chance. Ela quer que, um belo dia, você simplesmente pare, largue tudo, abandone o que está sempre obsessivamente fazendo e a encare bem no fundo dos olhos.
Ela só quer que você a aprecie e, finalmente, veja-a despida, sem esses tantos véus que a sua mente lhe impõe. Ela só quer que você, uma única vez, compreenda-a e, então, acorde. Ela quer que você desista de ficar ansiosamente cultivando a causa da sua própria insatisfação e infelicidade e da insatisfação e infelicidade desse mundo.
Ela quer que você se liberte de sua própria mente e possa ter ao menos um instante de discernimento, espontaneidade, paz e lucidez. Sim, a sua vida é mesmo o seu verdadeiro e maior mestre. Ela quer apenas poder ensinar a você o seu melhor Kung Fu. Mas como fazer isso se você não a vê, acha que já sabe tudo, tem sempre outros planos mais grandiosos que a sua própria vida, se está sempre apressado, correndo, correndo e se nega a aprender?
Não deixe de encarar a sua vida de frente. Não se deixe enganar tão facilmente pelas aparências e marcas em sua própria mente. Não se deixe anestesiar assim e passar reto pela vida como se estivesse correndo num caminhão desgovernado, sem freios.

Por favor, não se desvie, não tire seus olhos da sua vida verdadeira e significativa, pois ela quer muito lhe falar e ensinar sobre o que se passa no íntimo do seu coração e da sua mente. Não deixe para a próxima vida o que você ainda pode aprender e fazer nesta mesma existência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário