12 de nov de 2014

Perda e transformação


Observe os sentimentos que fluem em sua mente nesse momento... Alegria, tristeza, raiva, ressentimentos, mágoas, perdas, dor...

Buda dizia que sem dificuldades e problemas não conseguimos crescer nem aumentar a força interior, a tolerância paciente, a maturidade emocional e a visão. Tudo muda, mas o que é real e verdadeiro permanece.
Perceba que em um ou outro momento todos perdemos alguma coisa. Pessoas amadas, saúde, óculos. Perdemos as lembranças, o dinheiro, as chaves. Perdemos a própria vida. É preciso aceitar essa realidade: mais cedo ou mais tarde, tudo estará perdido. Só não sabemos quando vai acontecer.
A perda é um fato na vida. A impermanência está por toda a parte. As estações vêm e vão; Até mesmo as grandes civilizações desmoronam e retornam à poeira. Todos nós vamos enfrentar perdas. Como vamos lidar com isso é que fará a diferença. Essa é uma verdade espiritual básica que pode contribuir para não perdermos o controle da vida e de nós mesmos.
Certas pessoas sentem tanto medo de uma grande perda que não querem sequer ficar perto de quem sofre. Outras não conseguem entrar em hospitais, cemitérios ou quartos de doentes, dizendo que é muito deprimente. Sabem intuitivamente que não poderão se proteger indefinidamente das dores da vida, mas mesmo assim continuam a proteger-se como podem. Se eu não olhar para lá, talvez aquilo vá embora. Mas não vai, infelizmente. A vida é frágil, vulnerável e quebra á toa.
Não vamos recuar diante deste fato assustador, porém reconfortante: o sofrimento proporciona lições que precisamos aprender urgentemente.
Quando perdermos algo inestimável, nosso mundo se transformará. E o mundo se transforma a cada momento. Em um piscar de olhos, constatamos que tudo mudou. Você muda, eu mudo, nós mudamos. Até a atmosfera muda.
Observe a sua respiração... A cada inspiração o momento anterior está perdido, e um novo momento surge. Isso é algo que os meditadores conhecem bem. Inspiramos e expiramos... Inspiramos e expiramos... Ao fazer isso, conscientemente, repousamos no momento em transição. Aprendemos a acolher e aceitar todo o processo.
Expiramos e abandonamos o momento anterior. Ele está perdido para nós. Ao fazermos isso, deixamos a pessoa que éramos. Inspiramos e recebemos o momento que está surgindo, acolhendo a pessoa na qual estamos nos tornando. Repetimos o processo. Isso é meditação. Isso é renovação. E também é vida.
Ensinamentos sobre a natureza da perda e da transformação são os mais essenciais para os buscadores no caminho espiritual trilhado por Buda – chamamos tudo de impermanência. Os ensinamentos vivem nos lembrando do significado espiritual da perda e da impermanência. Repetem que não devemos fugir de nossos sentimentos e pensamentos a respeito das perdas que sofremos, mas, ao contrário, devemos ter plena consciência dos fatos da vida.
A meditação sobre a impermanência é a soberana das meditações. Esse é o caminho testado e verdadeiro que conduz á transformação e iluminação. Meditamos sobre a impermanência de todas as coisas para cultivar plena consciência e apreciação da natureza transitória da vida e das coisas. Nada permanece igual. Cada respiração, cada momento, cada objeto, animal, inseto, pássaro, peixe, e ser humano estão aqui por um período de tempo muito limitado. E quando atravessamos situações difíceis, pode ser reconfortante lembrar a natureza efêmera e transitória das coisas.
Os períodos bons também são efêmeros, mas quem gosta de ser lembrado disso? Queremos nos agarrar ao bom e abandonar o ruim, mas jamais teremos êxito nessa manobra. Não queremos acreditar que as coisas belas e alegres da vida irão desaparecer. Contudo elas desaparecerão. Pode ter certeza.

Tudo passa, nada permanece. Entenda isso, pare de se agarrar às coisas e encontre serenidade.

por Lama Surya das

2 comentários:

  1. Texto muito inteligente, porém me encucou:

    No início ele diz "Tudo muda, mas o que é real e verdadeiro permanece.", e ao decorrer do texto diz que nada é pra sempre, tudo muda e que temos que lidar com isso.

    Ao meu ver, tudo é eterno no que diz respeito aos ensinamentos que a alma adquire nessa experiência de Vida humana. Tudo o que aprendemos aqui, com o convívio, tudo isso ficará eternamente "registrado" em cada alma. Assim como o AMOR, acredito plenamente no AMOR pelo Universo e no AMOR entre as Almas, aquele AMOR verdadeiro, puro, sereno, sincero que dificilmente ocorre entre as Almas em Vida humana.

    Fora isso, concordo com o fato de que tudo se vai.


    Apenas uma reflexão minha. :)

    ResponderExcluir
  2. Texto muito inteligente, porém me encucou:

    No início ele diz "Tudo muda, mas o que é real e verdadeiro permanece.", e ao decorrer do texto diz que nada é pra sempre, tudo muda e que temos que lidar com isso.

    Ao meu ver, tudo é eterno no que diz respeito aos ensinamentos que a alma adquire nessa experiência de Vida humana. Tudo o que aprendemos aqui, com o convívio, tudo isso ficará eternamente "registrado" em cada alma. Assim como o AMOR, acredito plenamente no AMOR pelo Universo e no AMOR entre as Almas, aquele AMOR verdadeiro, puro, sereno, sincero que dificilmente ocorre entre as Almas em Vida humana.

    Fora isso, concordo com o fato de que tudo se vai.


    Apenas uma reflexão minha. :)

    ResponderExcluir