7 de abr de 2015

Esforço Correto


Dhamma nos ensina que tudo, bom ou mau, se origina dentro de nossas mentes – mentes que tem estado condicionadas por anos (e vidas) de pensamento iludido e ilusório.

Em tibetano existe uma palavra muito interessante – nangba – que quer dizer “pessoa de dentro”. É uma forma de descrever aqueles que procuram dentro de si aquilo que buscam. “Pessoas de dentro” não estão buscando refúgio em nada que possa ser encontrado do lado de fora; estão procurando um sentido existencial que só pode ser encontrado internamente.
Através da sexta etapa do Caminho Óctuplo – Esforço Correto -, nós nos tornamos “pessoas de dentro”, pessoas que têm compromisso de fazer o verdadeiro trabalho interno – com energia, discernimento e amor.
Esforço Correto na verdade, significa esforço espiritual. Trabalhamos para nos elevarmos, tentando desenvolver estados mentais mais saudáveis, enquanto buscamos viver de uma forma mais profunda e completa.

Sócrates (falecimento em 399 aC.) disse:
“A vida não examinada não merece ser vivida”. Essa frase tocou uma verdade tão profunda que ainda hoje, mais de dois mil anos depois da morte de Sócrates, as palavras continuam a ressoar. É preciso um esforço espiritual sincero para examinar nossas vidas e trabalhar em nosso próprio desenvolvimento.
Através da introspecção e da contemplação – práticas de atenção plena e da percepção consciente -, utilizamos a eficiente ciência milenar do despertar espiritual e da transformação interior.
É certo que não escolhemos nossos pais, nossos irmãos e nossa família, mas escolhemos nossas associações, escolhemos onde estar e o que fazer a cada momento, por isso é necessário um esforço consciente para mudar nossos padrões.

Perceba...
Podemos desenvolver a percepção de nós mesmos e do mundo de várias formas diferentes. Todas exigem esforço. Quem pode negar que é necessário coragem para examinar de perto nossos pensamentos e comportamentos? Não é fácil admitir que agimos por orgulho, inveja e má vontade, em vez de honrar a nossa natureza desperta. Quem tem coragem, empenho e cuidado espiritual para encarar esses fatos a seu próprio respeito?
Existem muitas formas de fazer esforço espiritual e, assim, desenvolver uma vida mais espiritualizada. O que Dhamma oferece aos buscadores são as técnicas testadas e verdadeiras de meditação, que passaram de geração em geração durante séculos por mestres iluminados, que compreendiam que a vida interior determina as experiências que temos na vida.
Em nossa prática, o esforço de transformação e despertar está ligado à meditação, a qual começa muitas vezes com a observação da respiração. Isso costuma confundir as pessoas. O que o crescimento interior e a mudança têm a ver com a respiração, perguntam as pessoas? O que a mente tem a ver com a respiração? O que a observação da respiração tem a ver com a transformação espiritual?
Começamos com a respiração porque é um processo físico, básico, comum a todos nós. Respirar é a nossa conexão com a própria vida. Todos podemos experimentar isso. A observação da respiração é o exercício de centralização e de interiorização mais básico possível, algo que podemos praticar onde quer que estejamos. Inspirar, expirar. Acalma, aquieta, ajuda a concentrar e a focalizar. Ao observar a respiração nós desaceleramos, tornando-nos mais reflexivos e contemplativos.

Então, nesse momento, inspire profundamente. Expire. Relaxe. Solte. Sorria para si mesmo. Fique à vontade.

A meditação é essencialmente uma forma de vida. Ela exige esforço para desenvolver a consciência através do treino da atenção. A meditação não é apenas um programa de ginástica mental. Na arte da meditação, o segredo é a simplicidade: a simples necessidade de se livrar do excesso de bagagem e de voltar a busca para dentro.
Hoje em dia todos nós temos uma mentalidade de café solúvel: o que queremos, queremos já. Basta adicionar água quente, e pronto. Mas na dimensão espiritual, por mais que se sinta a urgência do progresso, quanto mais devagar se caminha mais depressa se chega.

Então, por alguns instantes, observe a sua respiração. Inspire... Expire... Relaxe... Solte... E assim, vá desacelerando... E chegue aonde você está.

Nenhum comentário:

Postar um comentário