4 de fev de 2015

Acaricie a vida, não mate


Os ideais para viver a vida através da Ação Correta estão expressos em conceitos simples, mas têm muito mais profundidade do que parece.
Então vejamos:

Acaricie a vida, Não mate.
Uma vida consciente e atenta exige que estejamos completamente presentes a cada momento.
Não matar pode parecer uma instrução muito simples de obedecer, mas na verdade é bem difícil. Cada um de nós tem que olhar para dentro de seu próprio coração e procurar a atitude mais sábia, compassiva, reverente e cheia de consideração que lhe seja possível.
Será que é suficiente tomar cuidado para que nossos passos não causem mal a nenhum ser vivo, ou precisamos também direcionar nossa energia e nossas ações para o bem estar dos outros? Enquanto tentamos acessar a nossa natureza búdica (desperta), podemos pensar em respeitar, amar e salvar o que é vivo.
O amor e a compaixão que compõem a essência do despertar da consciência são cultivados quando consideramos não apenas o nosso próprio bem estar, mas o de todos os seres vivos. Fazer isso requer uma profunda compreensão de nossa conexão com os outros seres e do que significa o respeito pela vida.
Podemos aprender a amar cada vida individual e cada forma de vida, refletindo sobre como somos todos iguais – filhos da verdade. Todos os seres – insetos e cobras, peixes e aves e seres humanos – têm direito à vida e à felicidade. Nenhum de nós é árbitro do destino do outro. A vida é uma dádiva.
Nós incentivamos uma atitude de amor pela vida quando aprendemos a ceder, a dar a vez, a soltar e a suavizar nossos corações e almas. As manchetes dos jornais nos lembram que vivemos em uma sociedade violenta. Os ambulatórios de emergência estão cheios de homens, mulheres e crianças que foram vitimas da violência.
Por mais exagerado que isto pareça, sou de opinião que todos devemos estar alertas para a manifestação destas tendências dentro de nosso próprio psiquismo. Estaremos conduzindo vidas equilibradas e sadias enquanto estivermos conscientes da escuridão que existe dentro de nós tanto quanto da luz, de maneira a nunca sermos apanhados de surpresas por nossos impulsos negativos.
Podemos tomar a decisão de nunca matar, ou nunca fazer o mal, para não nos esquecermos da gentileza, da consideração e da bondade, respeitando sempre todas as formas de vida em nosso frágil planeta.

A mensagem que fica é que precisamos lembrar a nós mesmos, com regularidade, que a escuridão nunca está tão longe quanto gostaríamos de acreditar.

Uma vida consciente e atenta exige que estejamos completamente presentes a cada momento.

por Lama Surya Das

Nenhum comentário:

Postar um comentário