7 de jan de 2015

Fala Correta


Buda meditou por seis anos e ao atingir a perfeita iluminação, os véus da ilusão caíram de seus olhos. Livre das ciladas do desejo, ele finalmente obteve a felicidade duradoura.
Desperto, Buda finalmente compreendeu por que a vida em geral nos parece tão perturbadora.

E em vez de ficar em silêncio, preferiu compartilhar o seu caminho, o qual denominou as Quatro Nobres Verdades.

Primeira Nobre Verdade: A vida é sofrimento;

Segunda Nobre Verdade: O sofrimento existe por causa do apego, porque desejamos fortemente encontrar satisfação de maneira inerentemente insatisfatória;

Terceira Nobre Verdade: A possibilidade da libertação do sofrimento existe para qualquer pessoa.

Quarta Nobre Verdade: O meio de obter esta libertação do sofrimento é levar uma vida compassiva, cheia de virtudes, sabedoria e meditação. Estes três treinamentos espirituais compreendem os ensinamentos do Caminho Óctuplo para a Iluminação

Entre os oito passos para a libertação do sofrimento, praticamos a Fala Correta, que é o tema de nosso estudo hoje.


Em um mundo de campanhas publicitárias exageradas, programas de televisão apelativos, rádios que fazem campanhas de ódio e profissionais que melhoram a imagem de políticos, a Fala Correta talvez pareça uma exigência grande demais.
Mas se somos sinceros ao seguir o Darma (A Verdade), nossas palavras se tornarão um reflexo do nosso desejo de ajudar os outros. Pense com bondade; fale com gentileza e de forma clara. A sabedoria da causa e efeito nos ensina que tudo é importante – cada respiração, cada sílaba, cada frase.
Imagine se todos os pensamentos que neste momento estão flutuando dentro da sua cabeça fossem impressos em um quadro gigante – como o cardápio diário de certos restaurantes. Quais os pensamentos que você sinceramente desejaria expressar? Perceba... É uma escolha que fazemos – às vezes centenas de vezes por dia. Com as suas palavras, você confirma para o mundo, e para si mesmo, aquilo que considera importante.

Pois bem, fale a verdade, não minta. Sobre isso, o conselho de Buda foi extraordinariamente direto. Fale sem malícia, sem interesses do ego, sem conflitos nem motivos ocultos – não seria maravilhoso poder falar com tal clareza e simplicidade, o tempo todo?
Por exemplo: em vez de dizer aquilo que sabemos ser verdade, dizemos o que os outros querem ouvir. Ou então dizemos o que nós queremos que eles ouçam – e acreditem.
Falar a verdade é uma atividade do momento presente. A seguir, tente perceber se você está utilizando a fala para manipular sentimentos ou emoções, seus ou de outras pessoas. Você é capaz de falar a sua verdade com uma voz autêntica, sem hesitações nem recuos?
Use palavras para ajudar, não para ferir. A Fala Correta nos lembra que devemos evitar causar problemas dizendo algo que possa ferir ou interferir desnecessariamente. A calúnia semeia a discórdia, mas a fala gentil e sensível traz paz e reconciliação.
Não fale dos outros, nem conte histórias sobre eles. Teríamos bastante paz se não estivéssemos sempre tão ocupados com o que os outros disseram ou fizeram. Não fale nem das pessoas que nos incomodam nem daquelas que nos atraem -, a menos que a pessoa esteja presente para ouvir o que é dito. Quando nós paramos de falar dos outros, descobrimos quanto tempo e quanta energia perdemos diariamente com conversas que não servem a nenhum propósito construtivo e que, além disso, nos seduzem e nos transportam para longe do momento presente.
Evite linguagem pesada; Fale com bondade. O discurso pesado está em geral associado à raiva e à hostilidade, mesmo se a raiva for expressa na forma de aborrecimento, sarcasmo, alfinetadas verbais ou humor que causa irritação. Quando nossas expectativas não se realizam, tendemos a culpar os outros e a nos enfurecer. Mas será que é preciso haver uma explosão? A responsabilidade é sua. Ninguém pode nos enraivecer quando não temos mais sementes de raiva dentro de nós.

Essa é a mensagem do Lama Surya Das. Resista à vontade de falar dos outros e comece a viver no momento presente, com quem estiver ao seu lado e ninguém mais. Este momento presente é suficiente, perfeito e completo. Usufrua e deleite-se com aquilo que está diante de seus olhos e tudo lhe será revelado – fresco e radiante como qualquer amanhecer, como o amanhecer da criação.


Experimente praticar o Nobre Silêncio.

por Lama Surya Das

Nenhum comentário:

Postar um comentário