3 de nov de 2014

A Aversão II


Vencer a Aversão, vencer seu ódio e sua raiva, e passar a pensar, falar e agir livre dela é condição essencial para que os seres possam alcançar verdadeiro equilíbrio e felicidade.

Do ponto de vista da saúde, esta é, talvez, a energia mais nociva. Diante da menor contrariedade, irritação ou medo, nosso sistema de defesa é afetado. E quando somos invadidos por uma grave crise de Aversão, diante das adversidades da vida, podemos ser levados diretamente para a tristeza. Devido a energia de apego, mas já em forma de Aversão, temos dificuldades de aceitar a perda de entes queridos ou de bens aos quais estamos presos e apegados. Ceder as intenções do nosso destino, compreendendo o malefício que a Aversão pode representar tanto para nós mesmos quanto para os que nos são próximos, seria atitude bem mais salutar e equilibrada. Ao perder sua companheira de muitos anos, atropelada na saída de um Ashram, o Professor Hermógenes, assimilou tudo oferecendo-nos: “Entrego, aceito, confio e agradeço”.
Entretanto, quanto mais lidam com a Aversão, mais aversivas as pessoas se tornam e mais ainda passam a defender o seu direito ao ódio, como se ele fosse, em si mesmo, de algum modo, benéfico ou algum sinal de caráter e personalidade fortes. A Aversão pode desfazer todo o bem que possamos ter feito. Além disso, odiar é como ingerir veneno pensando que a outra pessoa é que irá morrer. A Aversão nos faz perder uma das melhores qualidades humanas, a racionalidade, no exato instante em que aflora dentro de nós.
Neste mundo, infelizmente, tudo o que os Aversivos puros querem é se envolver sempre em mais aversão. Tem, portanto, grande dificuldade em participar e colaborar na prática do bem e das virtudes, sobretudo, da não violência. Não conseguem deixar de envolver-se com esta energia perigosa e com a carga de consequências que são geradas através de se seguir agindo e reagindo, com o corpo, fala e mente, contaminados pela aversão-raiva-ódio.
Infelizmente, os aversivos puros acreditam que a paz e felicidade possam ser alcançadas somente através da força bruta e da mera eliminação de seus inimigos.
A Ignorância é a fonte de Aversão que nos conduz a um reino infernal de agressão, violência, crítica, irritação, dor, grande arrependimento e a sofrimento.
Os antídotos específicos que podem ser aplicados para pacificar e ajudar a transformar a Aversão são a perfeita paciência, ou seja, a não impaciência e a compaixão, entre outros.
A sabedoria que a Aversão libera, quando transformada adequadamente, é um estado mental capaz de reconhecer, de ver e de se colocar na condição do outro (estado de empatia), de compreender profundamente as causas do sofrimento alheio e desenvolver pura compaixão, ou seja, encontrar meios para auxiliar o próximo a remover os seus obstáculos.
Essa transformação da Aversão na sabedoria pura que está associada a ela, torna a mente flexível, capaz de ceder a verdade, gerando um estado mental profundamente sereno, pacífico, tranquilo e, sobretudo, um estado de amorosidade, que vê a si mesmo em todas as coisas e seres, percebendo tudo com grande clareza e nitidez.


Nesse momento, procure manter sua Plena Atenção na respiração. Precisamos levar paz ao nosso universo interior... E com calma e tranquilidade dissolver toda irritação, toda crítica, toda violência, seja em pensamentos, palavras ou atitudes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário