22 de out de 2014

O espelho de Yama


No famoso Livro Tibetano dos Mortos, está escrito que, quando chegar a nossa hora, teremos um encontro com o temido Deus Yama. O Deus tibetano da morte não traz nenhuma foice em suas mãos, mas sim, ora vejam: um espelho. Então, no momento oportuno, o espelho de Yama será colocado bem diante de nós.
Eu penso que esta é uma metáfora muito sábia e significativa. Subentende-se que seja um espelho capaz de refletir nossa própria mente, pois quando estivermos mortos, já não teremos um corpo.
Então, o livro tibetano afirma que tudo o que vai acontecer - o nosso destino -, dependerá exclusivamente do que aparecer ali, naquele espelho, naquele momento. Portanto, será levado em conta o modo como vivemos a nossa vida, o que fizemos ou deixamos de fazer, as nossas verdadeiras intenções e, especialmente, o estado de nossa mente ao morrer, as marcas adquiridas, e não o estado, geralmente lamentável, do nosso corpo.
Subentende-se, também, que, segundo essa bela metáfora, quem nos delatará não será o Deus Yama, nem alguma outra pessoa indiscreta. Nenhum adversário ou inimigo estará presente para nos caluniar. Não haverá ninguém para jogarmos a culpa, responsabilizar, ou para que possamos dizer que as acusações que nos são imputadas são falsas, ou meras “intrigas da oposição”.
Todos os elementos do nosso julgamento terão como origem a nossa própria mente. Estaremos diante do tribunal perfeito. Ninguém poderá enganar a ninguém, fazer alegações absurdas, subornar testemunhas, advogados, tentar esconder detalhes ou falsificar provas. Isto será totalmente impossível, pois todos ali conhecem perfeitamente bem toda a verdade que cerca os fatos.
Eu considero essa passagem muito especial, inspirada e fascinante. É uma imagem muito poderosa e intrigante. Por exemplo, você teria coragem de se mirar, nesse momento, no espelho de Yama? E, se você olhasse no espelho de Yama, o que veria exatamente? Será que poderia responder sincera e honestamente a esta pergunta agora, enquanto ainda tem um corpo? Enfim, você é capaz de encarar a sua mente, em sua nudez e profundidade?
Esse é um espelho não para focarmos sobre o corpo, mas para vislumbrarmos a nossa dimensão sutil, a mente. Logo, não é um espelho para vermos se estamos mais gordos ou mais magros, mas um espelho capaz de nos mostrar as impurezas e contaminações da nossa mente.
Nos dias de hoje, considero fundamental para a nossa vida e para este mundo que todos possamos nos conhecer melhor, olhar e compreender com maior profundidade a nossa própria mente.
Espero, do fundo do meu coração, que você possa colocar em prática esse ensinamento, observando atentamente cada pensamento, sentimento e palavras que fluem em sua mente – momento a momento – para que você comece a transformar o seu futuro nesse exato momento.

Então, nesse momento, e por alguns instantes, respire suave e tranquilamente – aquietando corpo e mente...
E então olhe profundamente para a sua mente. O que afeta a sua mente; como ela reage... Você tem influência sobre a mente ou ela te leva de um lado pra outro a hora que quer...
Observe o ego que sua mente construiu; suas verdadeiras intenções.

E lembre-se: É está mente que será refletida no espelho de Yama.

Nenhum comentário:

Postar um comentário